Piso minimalista de resina

14 de Março de 2012

Um piso quase invisível, sem juntas de dilatação, completamente liso, que cobre por inteiro qualquer superfície.

Nesse projeto, foi usada a resina branca, e engana-se quem pensa que não poderia fazer isso por aqui, por medo de manchar tudo, porque a resina é impermeável e ultra resistente, e sua limpeza se faz com pano únido e no máximo um detergente neutro.

Pois é, e por ser tão resistente, ele pode ser usado em comércio, clínicas, hospitais, escolas, além, claro, de residências, pois suas características são super adequadas para todos os ambientes da casa, e são ótimos para pessoas alérgicas, pois onde não tem juntas, não acumula poeira.

Mas se você gosta mais de cores e de um piso mais “chamativo”, a resina também serve para você, ela pode ser feita em todas as cores, inclusive, misturas de cores e até permite desenhos em sua superfície!

A resina é um piso excelente, pode ser colocado sob qualquer superfície, o que evita quebra-quebra. Mas atenção, ele precisa ser feito com mão de obra especializada!

 

O projeto acima é a Residência Mews 2, do escritório Andy Martin Architects, e o projeto completo pode ser visto aqui.

 

Pequenos detalhes na arquitetura que fazem muita diferença

8 de Novembro de 2011

Muita gente não entende a real função do arquiteto, ou todas as dimensões do nosso trabalho. Mas essa imagem é capaz de mostrar pelo menos uma das nossas façanhas: agregar valor ao objeto através dos detalhes.

O que poderia ser simples peitoris de janela, foram transformados em bancos simpaticos e agradáveis para tomar um banho de sol na companhia de um bom livro, ou numa festa com vários amigos.

E nesse pequeno detalhe podemos agregar dupla função, melhor aproveitamento, elemento inusitado, surpresa, estética… e não para por aí.

Esse projeto é a E House, do escritório Sharon Neuman Architects, e pode ser visualizado na íntegra aqui.

Case – reforma de churrasqueira – Jundiaí

26 de Outubro de 2011

Um espaço que dividia lazer com serviços, era ao mesmo tempo lavanderia e área da churrasqueira. Um atrapalhava o outro e nenhum funcionava direito, tanto que a churrasqueira era portátil, coitada.

Antes era assim:

E vai ficar assim:

Ah setorização….

Em brave colocarei as fotos da obra executada

Caixa d´água, melhor amiga ou inimiga oculta

28 de Julho de 2011

Nunca paramos para avaliar a importância de certas invenções que facilitam a nossa vida. Esse é o caso da água potável que temos canalizada até a entrada das nossas casas. E junto com ela, a caixa d´água, que tem a função de armazenar uma parte dessa água, em caso de faltar por um dia ou outro, e até mesmo por horas, tamanha é a nossa dependência!

Mas por ser assim tão acessível, mas ao mesmo tempo, tão oculta, geralmente no lugar mias escondido da casa que conseguimos colocar,  acabamos esquecendo que a caixa é um reservatório, onde a água pode ficar parada por um tempo, formando o cenário ideal para a proliferação dos mosquitos e outros insetos. Pode também acumular sujeira da própria água da rua ou poeira trazida pelos ventos. Eventualmente, coisas mais bizarras podem acontecer também, já ouvi histórias de pessoas que encontraram ratos mortos e outras coisas estranhas dentro de seu reservatório.

Todas essas sujeiras e contaminações na caixa d´água acabam descendo para o seu chuveiro, torneiras… e  não queremos nem pensar nessas coisas nojentas né, muito menos saber que isso está acontecendo em nossa casa.

E para evitar esse tipo de coisa, basta uma manutenção periódica da caixa. A indicação padrão é de fazer uma limpeza a cada 6 meses, mas se sentir que a água está saindo da torneira com um leve odor ou coloração diferentes, vale conferir a situação antes do prazo limite.

Manutenção

Para fazer essa manutenção, apesar de ser uma tarefa simples, é aconselhável investir em profissionais qualificados para executar o serviço, principalmente se a caixa fica em algum lugar perigoso, alto e sem proteção. Mas quem quiser se aventurar, também pode, basta desligar o registro da entrada da rua e deixar a caixa esvaziar, depois limpar com cloro e sabão, enxaguar, deixar essa água residual escorrer também, e deixar a caixa encher de novo. Pode ser que a água suja da limpeza desca um pouco para todos os canos, então logo depois de limpar, é necessário abrir todas as torneiras e deixar a água escorrendo até sair limpa, pois se a água suja permanecer nas tubulações por um tempo, pode ser que a sujeira se deposite por lá e prolifere fungos e bactérias.

Alguns cuidados são importantes, como usar equipamento de proteção, botas de borracha, corpo todo vestido de preferencia com aqueles macacões impermeáveis, luvas e máscaras, no mínimo que protejam os olhos. E por mexer com cloro, é importante deixar o ambiente bem ventilado durante o processo, para evitar intoxicação por inalação.

E se você tem caixa de amianto, melhor do que limpar, é trocar, AGORA! Já é senso comum que o amianto é cancerígeno e estar exposto a água com partículas de amianto, tomar banho com essa água, é extremamente perigoso. Troque pelo bem da sua saúde e da sua família!

Agora, dicas:

– Na próxima limpeza, pegue um pedaço grande de carvão (de churrasco mesmo), coloque dentro de uma meia de seda e deixe dentro da caixa d´água. Isso ajudará a purificá-la, e na próxima lavagem basta trocar o pedaço do carvão.

– Em lugares de muito vento, muitos insetos, ou qualquer situação extrema, é interessante fazer uma capa de plástico ou lona resistentes para a caixa e colocar por cima da tampa mesmo, amarrando bem com elástico. Isso vai proteger ainda mais a água que ficar armazenada lá.

Mas nenhuma dessas dicas serve para aumentar o prazo para a limpeza, apenas deixa-la mais limpa durante esse período.

E você, já lavou sua caixa d´água nos ultimos 6 meses?

Móveis coloridos em quartos infantis

21 de Junho de 2011
Um dia desses uma amiga que está decorando o quarto da filha veio me perguntar o que eu achava dela comprar um guarda-roupas com acabamento cor de rosa, desses de lojas de móveis planejados.
Achei a questão interessante e resolvi compartilhar com vocês algumas considerações, espero que sirva de reflexão para quem estiver com a mesma idéia.
Móveis coloridos estão em alta, as lojas, blogs e revistas estão abarrotadas de modelos coloridos, vibrantes.
Está na moda reformar um móvel antigo da vó pintando numa cor bem viva e colocando num local de destaque na casa. Neste caso, sou a favor. Restaurar móveis com a qualidade dos de antigamente e fazer um upgrade com cores para trazê-lo ao século XXI faz todo o sentido, com isso, tem-se peças únicas, resistentes, e se pratica a sustentabilidade.
E mesmo que não seja restaurado, comprar ou mandar fazer um móvel colorido, com a intenção de torna-lo quase uma obra de arte no local em que ele estiver inserido, acaba por introduzir o elemento lúdico, alegre, moderno, e até surpreendente.
Mas esses móveis coloridos precisam ser muito bem planejados para que não tornem o ambiente sobrecarregado, tudo deve estar em perfeita harmonia. Para isso, é importante contar sempre com a ajuda de um profissional, que saberá equilibrar as cores e conquistar o efeito desejado.
Mas no caso da minha amiga, era importante ela pensar nas seguintes questões:
– Um guarda roupas é apenas um dos elementos de um quarto, e quartos infantis geralmente tem muitas coisas coloridas e cheias de textura, então deve-se cuidar para que o móvel não chame mais atenção do que deve, ou deixe o visual todo muito pesado;
– Um bom guarda roupas custa caro e deve durar anos, muitos anos, e acompanhar o crescimento da menina, e pode ser que, daqui alguns poucos anos, ela já não goste tanto assim do cor de rosa, e a troca ou reforma do móvel será bastante dispendiosa;
– Mudar é bom, e a criança, ao longo do tempo, vai desenvolvendo a sua personalidade, seus gostos, então é interessante ter uma base neutra que facilite essas transições de personalidade, e ainda sim mantendo a decoração conectada, porque é mais fácil trocar uma roupa de cama e capa de almofada do que a cor do guarda roupas, ou ficar presa por anos a essa paleta por causa deste móvel.
É possível que um guarda roupas cor de rosa fique lindo no quarto da menina, mas antes de decidir é importante muita reflexão e planejamento do ambiente como um todo, por isso, selecionei algumas imagens de quartos infantis com cores nos móveis ou na decoração, espero que sirvam de inspiração!

Cuidado com a infiltração e umidade em sua casa

14 de Abril de 2011

Umidade dentro de casa é um problema sério, além de danificar móveis e revestimentos, ela contribui para a proliferação de fungos e bactérias, e é responsável por desencadear alergias e problemas de saúde. Quem convive com a umidade, provavelmente terá uma saúde fragilizada, especialmente as crianças e idosos.

Em lugares de clima frio e úmido, como Atibaia, esses problemas costumam aparecer ainda com maior frequencia.

Para se evitar a umidade, o ideal é fazer uma boa impermeabilização na hora de construir seu imóvel (prevenir é sempre melhor do que remediar). Existem produtos específicos para cada caso, por exemplo, a manta asfáltica para pisos e parte da parede de áreas molhadas, compostos poliméricos para paredes, caixas d água, etc.

Mas e se compramos uma casa usada, ou se a casa em que vivemos está com esse problema?

O primeiro passo é identificar de onde vem essa umidade, duas possibilidades:

– se for uma umidade geral, ou em diversos ambientes, especialmente  os das faces menos insolaradas da casa, provavelmente o problema é falta de ventilação. O ar não consegue circular e a umidade acaba impregnando em todo o ambiente, causando mofos e bolores. Nesse caso, a solução é abrir todas as portas e janelas e tentar fazer o ar circular- se necessário, até criar mais aberturas na casa.

– se o problema for pontual, apareceu em um canto de parede, embaixo de uma janela, perto dos rodapés, então trata-se de uma infiltração. Descobrir se ela vem da chuva através do telhado, se vem do solo, atravessando a laje devido a uma má impermeabilização, pode vir também de um cano furado, ou do terreno do vizinho, enfim, diversas possibilidades, e a partir dessa descoberta, combater o mal de fora para dentro, através de uma reforma corretiva, com a ajuda de um especialista.

Se você está com esse problema, ou se está pensando em construir, reformar, ampliar, lembre-se sempre de procurar ajuda de um bom profissional!

Jardins Verticais

2 de Junho de 2010

É possível transformar um muro ou até mesmo uma fachada inteira em uma obra de arte verde, ecologicamente correta, e ainda por cima com benefícios no conforto termo-acústico do ambiente. Como? Com os Jardins Verticais!

Atualmente existem diversas formas de automatizar a rega das plantas e pode-se optar por variedades que não exigem muitos cuidados com podas, de forma que esses muros verdes quase não dão trabalho.

Também é possível aplicar jardins verticais nos interiores dos edifícios, residências… as possibilidades são infinitas, e o resultado é sempre deslumbrante.

Projeto do Tryptique – Ed. Fidalga 727

Projeto de Michael Hellgren

Projeto de Patrick Blanc

Paisagismo de Alex Hanazaki

Paisagismo de Gilberto Elkis

Case – Casa no Jardim Imperial

20 de Março de 2010

Não seria por se tratar um bairro de classe média/ baixa, nem por ser um terreno de 125m², que os proprietários abririam mão de uma casa bonita, com arquitetura e design contemporâneos.

Este projeto de residência no Bairro Jardim Imperial, em Atibaia, mostra como é possível atingir esse objetivo mesmo com uma construção econômica e de baixo orçamento.

Para economia de obra, foi adotada a tipologia térrea, além de volumes de linhas puras e acabamentos simples.

Segurança atrás dos muros e portões

23 de Fevereiro de 2010

Na busca pela segurança em suas habitações, muitas pessoas sem querer acabam tomando atitudes prejudiciais. Um deles é se isolar atravás de muros altos e portões fechados, sem elementos vazados. Acreditando que vão evitar olhares curiosos e intimidar possiveis invasores, causam o efeito contrário, atiçam sua curiosidade, e impedem os olhares cuidadosos dos vizinhos.

Quando o próprio morador não consegue enxergar o que está acontecendo do outro lado de sua casa, pode levar sustos e colocar sua vida em risco.

Opte pela segurança de maneira cidadã, abra muros e portões e faça amizade com sua vizinhança, contribua para uma comunidade mais amigável e menos exclusiva, e dessa forma, estará contribuindo para se diminuir a violência urbana e o medo.

* Fachada aberta para a rua, projeto do Environa Studio

Coberturas

26 de Janeiro de 2010

Parte importante de qualquer construção, a cobertura merece atenção especial.

Existem no mercado diversos tipos, modelos, materiais e acabamentos, possibilitando composições inusitadas, combinando com todos os estilos e bolsos.

As mais comuns no Brasil são as telhas cerâmicas, que possuem diversos formatos e cores, e precisam de uma estrutura rebuscada de madeira ou metálica (apesar desta ultima ser menos utilizada). Essa cobertura, apesar de comum, teve seu custo elevado nos ultimos anos com o aumento do preço da madeira, além de ser uma estrutura pesada, o que acaba por exigir uma estrutura mais forte na casa toda. Como variável da telha cerâmica, são encontradas no mercado também telhas de concreto com formatos semelhantes aos cerâmicos.

Ganhando espaço no mercado e nos projetos de arquitetura, as telhas de grandes formatos, que podem ser de alumínio, policarbonato, PVC, fibrocimento e materiais reciclados, possuem formatos trapezoidal ou onduladas. Por vencerem grandes vãos dispensam caibros e ripas em sua estrutura, e possuem uma leveza que permite uma estrutura mais esbelta em toda a construção. Suas possibilidades de construção são inúmeras, podendo até ser curvadas, o que possibilita aspectos bastante contemporâneos na arquitetura. A rapidez de instalação também gera economia de obra.

Outro modelo são as telhas planas, mais comumente utilizadas em chalés e coberturas mais inclinadas, podem ser de manta asfáltica tipo shingle, tégula, cerâmica, e até madeira e pedras. Podem cobrir telhados menos inclinados, mas exigem um bom trabalho de impermeabilização para barrar as águas de chuvas que porventura atravessarem essas telhas. Seu sistema também é leve e permite rápida instalação, mas exige mão-de-obra especializada.

Um novo tipo de telhado colocado recentemente no mercado, e, particularmente, o meu preferido, é o Ecotelhado. Trata-se de uma cobertura vegetal  aplicada sobre a cobertura normal, ou sobre laje plana devidamente impermeabilizada, e que pode ser usado com ou sem inclinação. Ele faz absorção de água de chuvas, evitando enchentes, absorve o calor do Sol evitando aquecimento dos ambientes e o aquecimento urbano, além de absorver o CO2 do ar e transformar em oxigênio, e também fornece conforto acústico. É uma opção ousada e incomum, mas de bem com a natureza, e garante um aspecto inusitado porém aconchegante à construção.

Se você não está seguro o bastante para apostar no Ecotelhado, mas mesmo assim procura uma cobertura ecologicamente correta e também faz questão do conforto térmico de sua residência, aí vai uma campanha bacana, a “One Degree Less”, do Green Building Council. Ela sugere uma ação rápida e eficiente, basta pintar seu telhado de branco. Ele reflete o calor do Sol ao invés de absorvê-lo, e evita o aquecimento global. Ajuda a sua construção reduzindo a necessidade de ar condicionado, e ajuda o planeta.